03 outubro 2007

 

E fez-se lux


Eu legislo, Tu legislas, Ele legisla,...

Enquanto a sociedade sem classes (e inevitavelmente sem género) não chega, o melhor parece ser as mulheres contentarem-se com a produção legislativa do PCP. Tal leva-me a propor criarmos um indicador da situação e/ou emancipação da mulher, registando o número de projectos-lei apresentados e os aprovados.

No entanto, num conceito tão abrangente como este parece ser redutor analisá-lo apenas pela quantidade de leis. Assim, proponho arranjar uma outra medida que capturasse um pouco mais a complexidade do tema. Afinal, as leis não são todas iguais e fartam-se os nossos legisladores de trabalhar para tão pouco reconhecimento. Uma segunda medida podia ser o peso da lei.

A pergunta crucial passaria a ser, mas afinal quanto é isso em quilos?...

Comments:
Luz se faria ao perceber que também nesta frente o PCP não cruza os braços, no quadro das condições de intervenção que tem, sendo que os outros partidos com assento parlamentar, com mais representatividade, é pela via legal e pela opção política que aprofundam as desigualdades.
Luz seria reconhecer este contributo fundamental para as mulheres portuguesas, que, muito mais do que número ou peso, criou direitos.
Mas agradeço a divulgação. É uma forma importante de dar a conhecer direitos para que as mulheres os possam exercer.
Obrigada.
 
Ninguém questiona a importância que o PCP tem na elaboração e aprovação de legislação progressista. O problema é quando isso é apresentado como sendo emblemático do que esse partido faz pela emamcipação da mulher.

Parece que voltamos ao mesmo do bloco soviético onde uma legislação avançada convivia muito bem com uma posição secundarizada da mulher (face ao homem).
 
Não, meu caro.
Foi um dos muitos exemplos. Por isso disse "no plano legislativo". Bem mal andaria o PCP se fosse esta a única intervenção. Esses são outros. Se há coisa que não se pode acusar o PCP é esta.
Todos os outros exemplos de luta pela emancipação da mulher vivem-se no dia a dia. Terei todo o gosto em ir falando-te deles.
Mas claro, a pena é tua e dás a imagem que queres daquilo que eu disse (ou não). Mesmo entendendo perfeitamente o que eu quis dizer.
 
Mas é exactamente interessante que tenhas escolhido esse exemplo. Porque não deste outro qualquer?

O entendimento desta produção legislativa como um certo ex-libris parece-me subjacente à tua análise.

Cumprimentos
 
precisamente porque este é o mais fácil de quantificar.
o resto está no comportamento e reflexão diária do partido e dos seus militantes.

subjacente à minha análise está esse trabalho diário que originou estes projectos e estas leis. nem nunca poderia ser de outra forma.

não me parece é que a sua desvalorização seja um grande passo na defesa da emancipação da mulher ou do homem. afinal, estas leis são conquistas civilizacionais que resultam de processos de luta das populações, e muitas das leis resultaram das reivindicações e luta organizada das mulheres.

mas para o efeito que este post pretende, é uma questão de quantidade, de peso. não de direitos.
 
Queres saber em quilos ou em idas ao spa?È que em quilos depois vais ter que pedir à tua mulher a dias que converta e a coitada provavelmente nunca là pôs os coutos.Agora uma pergunta sèria(prometo que nao se vai tornar hàbito)se criticas estas vitòrias obtidas pelo PCP è porque tens outras de igual/maior monta para apresentar.Conta là...
 
Busílis:
Eu critico é a sobrevalorização de medidas frequentemente não implementadas e o adiar para o nunca de questões pertinentes.

Lux:
Eu não preciso de me preocupar com direitos porque, afinal, eles legislam...
 
Mas a culpa da nao implementaçao nao è do PCP.
 
samir,

confessa lá que não estás a conseguir controlar aquele bichinho anticomunista e anti-PCP que te rói o estômago mas que não podes assumir sem mais nem menos porque tu, como aqueles para quem escreves, sabem bem que o preconceito é inimigo da racionalidade. E se há coisa que nós temos sempre de mostrar (nem que seja contra o que sentimos cá dentro) é que todas as nossas posições são racionais... para não serem tão frágeis intelectualmente quanto o preconceito.

mas vá lá... ninguém te pede que aplaudas também, bolas!

já agora, se há partido que coloca a questão da luta das mulheres no plano político da seriedade e não no da oportunidade é o PCP. Basta passar os olhos pela sua produção material e imaterial, pela forma como, mesmo quando essa matéria não está na berra, aprofunda a teoria e a prática revolucionária com o objectivo da emancipação da Mulher; mas também pela forma como não embarca nos discursos oportunistas do facilitismo. das "cotas", das "igualdades de género", e outras fórmulas com que o capital vai lubdibriando as gentes e em que as "esquerdas modernas", seduzidas, alegremente se empenham.

A lutas das mulheres é a luta pelo socialismo.
 
Que deliciosa ironia ouvir um deputado da Republica acusar um anonimo cidadao de oportunismo politico.

Ja ca faltava a universal desculpa do PCP: a horde de barbaros e reaccionarios que assoma as suas muralhas, e o partido vitima, fatalmente so'. E' mesmo isso que me repulsa no PCP. Sempre que me aproximei com critica e respeito, de imediato fui alvo desse maniqueismo. Ou nasces la dentro ou entras castrado. Em nome do pai, do filho e do espirito santo!
 
a.cabral, nao te aperceberes que para o PCP o problema è " a horde de barbaros e reaccionarios que assoma as suas muralhas"do povo portugues.Sofres do mal de muita gente que è precisamente nao ver alem do umbigo.O PCP defende realmente o POVO, compreendo que nao te identifiques,mas devias fazer um esforço antes de vires com as tuas abituais calinàdas.Quem vai mudar este ,ou outro,paìs somos nòs POVO,nao anjinhos nem beatos do alto das suas càtedras.
 
A questão é que os comunistas não se ficam unicamente pelo combate na Assembleia da República, nem pela produção legislativa. O trabalho do PC pela emancipação é em todos os locais da sociedade onde a questão da desigualdade e o preconceito se coloca.

E nisso por mais quilos que já se tenham conseguido, ainda muitos há para conquistar.

Não percebo qual é a questão?
 
A questao e' que se tentou comecar aqui uma discussao em moldes novos e foi considerado insensato e irrelevante. Porque o PCP ja esta a fazer tudo o que e' preciso fazer com toda a analise definitiva dos problemas.
 
Nao...,a.cabral,o PCP està sò a fazer melhor do que tu alguma vez seràs capaz.Mas como ès uma gaja nova hàs de aprender isso ao longo da vida.(nao acredito è que seja com subsideos da ue,vai ser mesmo à base de encavadelas,mas vai dar ao mesmo)
 
Enviar um comentário

<< Home


   

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

   
   
Estou no Blog.com.pt