20 março 2008

 

All together now


Como é comum nos aniversários, a entrada no sexto ano da Guerra no Iraque foi marcada por discursos solenes.

Apesar de todos os estudos concluírem aquilo que já sabíamos – que não havia ligação entre o governo de Saddam e os “terroristas islâmicos” – Bush não se retraiu em usar a palavra “terrorista” 20 vezes e fazer 15 referências à Al Qaeda no seu discurso de 25 minutos de ontem. Ainda se atreveu a falar na “libertação do povo iraquiano”, da “democracia no coração do Médio Oriente” que “servirá de exemplo a outros”.

Obama escolheu a base militar da Carolina do Norte (que tem as primárias em Maio) para a celebração. Relembrou-nos do seu comprometimento com a “guerra ao terrorismo”, dizendo que “precisamos de uma estratégia pragmática que se foque nos nossos inimigos reais”.

Dias antes, Clinton fez saber que reduzirá o número de tropas presentes no Iraque “de forma responsável e cuidadosa”. Elogiou o exército norte-americano que ofereceu aos iraquianos “o precioso presente da liberdade”. Cínica, como é costume, ainda disse que os EUA não podem “ganhar a guerra civil” iraquiana.

McCain balbuciou que “a América e os nossos aliados estão à beira de conseguir uma grande vitória contra o extremismo radical islâmico”.

Já não importa o encobrimento, as mentiras ou o tamanho do crime. O Iraque tornou-se um desastre para o governo norte-americano, totalmente desacreditado aos olhos da humanidade.


5                                 anos
3 000                           tonelas de urânio lançadas
60 000                         presos políticos
1 000 000                     de mortos
4 000 000                     de refugiados
11 000 000                   de desempregados
1 000 000 000 000       de dólares gastos
0                                 razões para a ocupação

Comments:
O que é engraçado é que isto tudo já se sabia antes da invasão. Engraçado se não fosse trágico, claro. Mais ainda também se sabe que a comunicação social encobriu, que os democratas não denunciaram que ainda hoje os Clintons e Obamas continuam a assobiar para o lado porque claro que também têm culpas no cartório. Muitos deles votaram a favor não se esqueçam disso. Eu até sou de uma forma geral pró-americano mas este caso revela que na realidade há qualquer coisa de profundamente errado no sistema. Podem acusar-nos da teoria da conspiração se desejarem mas se nos limitarmos aos factos há muita coisa para explicar. Por exemplo esta que este post transmite. Porque razão nenhum dos candidatos democratas diz: "O sr. Bush mentiu tem de ser destituído"
 
bom, razões houve e há para a ocupação. podemos não concordar com elas, mas elas existem. há é pouco quem fale delas. Se não me engano devem andar à volta de

- ganhar posição na região (o cerco à Rússia e repúblicas satélites, Irão, protecção a Israel, questão do Afeganistão etc)
- papel de liderança na cena mundial, política de esvaziamento da ONU, reforço da Nato, divisão da UE etc
- questões energéticas (gás, petróleo, pelo menos, com respectivos gaso/oleodutos)
- contratos multimilionários para empresas americanas (e outras...por alguma razão deixaram os governos "aliados" de estrebuchar) dos diversos ramos

pelo menos.

renegade (spectrum)
 
Publicar um comentário

<< Home


   

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

   
   
Estou no Blog.com.pt